Uma breve explicação

Desde criança, entendi que ler e escrever era uma fuga. Quando eu pegava um livro ou um papel e lápis, deixava de estar onde quer que eu estivesse. Imediatamente, embarcava em outro mundo, quer seja o criado por mim ou por outro autor. Fugia de tudo aquilo que me causava medo.

leitura na infância

Quando adolescente, tive vários amigos de escola que diziam que odiavam ler. Eu era a estranha que sempre estava lendo. Por algum motivo, pulei a fase Harry Potter. Eu buscava respostas. E quando se busca por conta própria, sem referências (sou de uma casa em que o livro mais lido, constantemente lido, repetidamente lido é a Bíblia), acaba-se encontrando respostas ruins. No meu caso, (alguns) autores ruins. Mas eu lia. Lia também muito teatro e muita poesia.

Com a internet e com os neurônios funcionando um pouco melhor, comecei a ter acesso a grandes autores. A importantes autores. A novos autores. Machado. Lygia. Bukowski. Salinger. E tantos e tantos clássicos. Gutierrez, Houellebeqc. Tantos autores contemporâneos descobertos.

Hoje, passados tantos anos, tenho acesso relativamente fácil aos livros. Posso, felizmente, comprar um ou outro todo mês. E convivo com amigos que são grandes leitores. Moro com um “namorido” crítico literário. Trocamos todos experiências e opiniões. E estamos sempre lendo.

lendo livro

Há alguns anos, comprei um Moleskine Book Journal. É um caderno para fichamento dos livros lidos. Foi uma das minhas maiores aquisições, porque tenho um ditado só meu que diz que “o que eu não escrevo, não lembro”. Passei a anotar cada livro lido, minhas impressões sobre ele, citações favoritas, etc. Algo que sempre fiz, mas de maneira desordenada.

O problema do Moleskine é que falta espaço! Então, por que não começar um blog? Bem, manter um blog requer comprometimento, o que, por sua vez, requer tempo. E tempo é algo que me falta. Por outro lado, preciso exercitar a escrita para mim, para o meu prazer, já que passo a maior parte do meu dia escrevendo para os outros. Então cá estou. Então nasceu o “Livros. Mais livros” (este nome não significa muita coisa além da impossibilidade de outros nomes que pensei).

Este não é exatamente um blog de crítica literária. Não tenho essa pretensão, não. É um blog para expressar as minhas opiniões e impressões sobre cada leitura. Cada livro que leio me toca de um jeito, bem ou mal. E é isso que pretendo trazer aqui. Além disso, às vezes vamos (eu e o Yuri, meu namorido) a eventos literários. Posso falar sobre eles aqui também.

Espero que gostem.

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s