1Q84 (Livro 3), Haruki Murakami

1Q84-Livro-3Os fãs de Haruki Murakami esperavam ansiosamente o volume final da trilogia 1Q84, que chegou às livrarias em dezembro. Afinal, é praticamente impossível adentrar ao universo paralelo criado pelo escritor japonês e não desejar entender os seus mistérios e significados. Então, é com voracidade que o leitor devora as páginas da última parte da trilogia.

Retomando a história: faz 20 anos que Tengo e Aomame não se veem, desde que estudaram juntos até a 4ª série. Ele é professor de matemática e aspirante a escritor. Ela, instrutora em uma academia. Tengo assume a tarefa de reescrever o livro “Crisálida de Ar”, de autoria de uma jovem de 17 anos que, a princípio, é só uma adolescente confusa. Aomame também desenvolve uma atividade paralela – é uma espécie de assassina de aluguel, protegida por uma senhora milionária. Por 20 anos, a vida de ambos corre paralela, sem qualquer ligação, até que a publicação de “Crisálida de Ar” e uma missão assumida por Aomame tornam a unir, mesmo que não fisicamente, a história dos dois protagonistas.

O livro 2 termina cheio de perguntas. No último volume, a entrada de um personagem, o detetive Ushikawa, dá a impressão de que muitos dos mistérios serão esclarecidos. Porém, não é o que acontece. Nesta última parte, Murakami concentra-se para conseguir um modo minimamente plausível para unir Aomame e Tengo. E aí todo o resto fica meio jogado, meio abandonado. Além disso, o autor adiciona certos elementos completamente sem sentido e sem necessidade (como o cobrador da NHK que bate à porta de Aomame, Tengo e Ushikawa).

O que tornava a leitura de 1Q84 agradável eram o ritmo do livro e os mistérios do universo paralelo criado por Murakami. Era este mundo à parte que trazia algo diferente e envolvente. Difícil acreditar que o interesse maior da história seja o casal protagonista. Eles são interessantes a medida em que suas trajetórias estão conectadas pelo mundo 1Q84. No livro 3, porém, o que mais vale é a história de amor de Tengo e Aomame.

A última parte da trilogia decepciona ainda mais porque são diversos os fatores do mundo 1Q84 que ficam sem explicação. Resumindo, parece que o autor perdeu seu poder narrativo: o ritmo desanda, há muita coisa que se repete e tantas outras que simplesmente “ficam no ar”.

No fim das contas, 1Q84 parece um episódio de programas como Arquivo-X, só que mal sucedido. Quem acompanhou a série sabe que as criaturas inusitadas (como o platelminto gigante – nem era platelminto, mas ok) e a toda a trama de invasão alienígena sempre foi muito mais interessante do que a história de amor entre Mulder e Sculy e que eles tornaram-se personagens interessantes e com novas nuances conforme o desenrolar da série. O mesmo vale aqui no livro de Murakami. Quando o romance passou a focar muito mais no casal de protagonistas, 1Q84 perdeu o encanto.

P.S.1: Desculpem a comparação com o Arquivo-X! Acabei de rever as nove temporadas!

P.S 2: Agora o blog tem página no Facebook! Curtam!

_________

1Q84 (livro 3)

Haruki Murakami

Alfaguara

Tradução: Lika Hashimoto

Anúncios

4 comentários

  1. Estou na página 170 e até agora estou sentindo exatamente o que você escreveu, Carla!

    Fiquei pasma com a quantidade de erros de português (até agora já identifiquei 4), ainda mais considerando-se 2 revisoras e uma editora de renome… Bem no comecinho do livro, na página 8, já tem um erro crasso!

    Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s